Sair do conteúdo
Inbound Marketing
Categories:

INBOUND MARKETING: GUIA PARA PROFISSIONAIS DE MARKETING

Inbound Marketing é a resposta mais segura para empresas que passam por esta grande revolução Industrial 4.0. Graças a recursos como inteligência artificial e análise de dados, a jornada do cliente está se digitalizando cada vez mais.

Mas o grande desafio com o Inbound Marketing está na mão dos gerentes de marketing e até mesmo dos profissionais de vendas, que se questionam se devem aprender a usar o Inbound Marketing no dia a dia deles. Este texto vai te apresentar a metodologia e explicar como e quando você deve utilizá-la.

Afinal, o que é Inbound Marketing?

O Inbound Marketing, pode ser definido como marketing de atração, pois no momento em que a sua persona tem um problema, dúvida ou busca comparativos, ela irá achar respostas nos motores de busca, como o Google, e assim, podemos iniciar a jornada de compra digital da metodologia Inbound Marketing.

Dessa maneira, com uma estratégia de Inbound Marketing bem elaborada, a etapa de atração acontece com o Marketing de Conteúdo e SEO, tudo isso através do blog.

Com conteúdos interessantes e bem posicionados nos motores de busca, outras ações previamente programadas e desenvolvidas ajudarão a metodologia a dar o salto para a conversão, onde o visitante irá procurar ir além e se cadastrar em uma landing page para daí sim ser um Lead ou um cadastro de potencial cliente. 

Uma vez registrados os dados do lead na sua máquina de marketing (RD Station ou HubSpot) é executado um fluxo de nutrição de leads para manter mais próximo o lead de uma possível compra com conteúdos, através da leitura de dados que as ferramentas fazem quando e-mails são abertos ou clicados.

Assim, quando o Lead precisar do seu produto ou serviço que a empresa oferece, deverá se lembrar dela, pois através do fluxo de nutrição, o seu negócio se fará presente ao longo de um período falando sobre o assunto que o lead se cadastrou na Landing Page.

Por fim, espera-se que com o conteúdo correto e apresentando argumentos próximos a dor que o Lead tem, então haverá informações e confiança suficientes para fechar um contato e iniciar uma proposta de negócio com total segurança.

E já que fidelizar um cliente é muito mais barato do que conquistar um novo, o Inbound Marketing permitirá criar um relacionamento digital em dois formatos que nós abordaremos neste artigo, a ampulheta (funil espelhado) ou o Flywheel, nova forma de fazer o Inbound Marketing lançada pela Hubspot que aborda  Marketing+Vendas+Relacionamento.

Seja de uma forma ou de outra, o inbound marketing continuará a nutrir a relação com os clientes, retendo-os na carteira com conteúdos relevantes que ajudarão eles a entender a importância da sua solução no dia a dia e cada vez a usá-la melhor.

Assim sendo, elaborar uma boa estratégia de Inbound Marketing, sem incomodar possíveis clientes, educa sua audiência no momento que ela precisa e que o assunto tem relevância, acaba por transformar a sua marca em autoridade sobre um determinado assunto.

E, claro, ser referência ajuda a ter destaque no mercado e a influenciar de modo positivo a decisão de compra de novos consumidores que acabam obtendo referências do seu negócio pelos vários meios que a internet oferece, como redes sociais, Google Meu Negócio, sites de opiniões, além do tradicional boca a boca. Dica: leia nosso artigo Cursos para Marketing Digital no Brasil e entenda como preparar a sua equipe e você para o uso da metodologia de Inbound Marketing (tem cursos pagos e gratuitos).

Palestra de Ubirajara Carratu sobre Inbound Marketing

Mas quem criou o Inbound Marketing?

O conceito de Inbound Marketing foi criado em 2006 na empresa americana Hubspot, por Brian Halligan e Dharmesh Shah, mas ganhou popularidade no ano de 2009, nos Estados Unidos, com o lançamento do livro Inbound Marketing: seja encontrado usando o Google, a mídia social e os blogs

Deste então, o conceito se popularizou por todo o mundo, conquistando empresas de todos os segmentos e portes que logo perceberam a importância dessa poderosa estratégia mercadológica.

Também é preciso destacar quem são seus fundadores: Brian Halligan e Dharmesh Shah (HubSpot – empresa fundada pelos dois norte-americanos). São eles os autores da emblemática obra que deu origem ao termo Inbound Marketing – e que citamos na abertura deste tópico.

Brian Halligan e Dharmesh Shah Hubpost

Entenda a filosofia do Inbound Marketing

Já deu para perceber que Inbound Marketing é bem mais do que uma dessas metodologias milagrosas, voltadas para vender mais produtos ou serviços em um curto tempo e quase sem esforço.

Sim, ele consegue alcançar esses objetivos com um trabalho feito por profissionais, com seriedade e constância, mas vai além. Podemos dizer que trata-se de uma filosofia que tem como propósito criar valor a uma marca, por meio de ações orientadas para os consumidores e o mercado através de conteúdos em formatos de textos, vídeos e gráficos.

Em um ambiente cada vez mais saturado de ofertas de todos os tipos, o Inbound Marketing faz a ligação entre marca e seu público para agregar valor aos bens e serviços que disponibiliza, sem ser invasivo como a propaganda.

Dessa forma, criam relações duradouras com seus clientes e constroem marcas sólidas!

Planejar Inbound Marketing é super necessário

O primeiro passo para uma estratégia de Inbound Marketing obter sucesso é ter um bom planejamento. Esse planejamento vai determinar alguns elementos e ações essenciais – conheça-os a seguir.

1. Criação de persona

Não basta atrair leads, é preciso que sejam qualificados. Por isso, criar uma persona, ou seja, uma representação do seu público-alvo ideal é o primeiro passo para o Inbound.

Ao criar a persona, você precisa definir dados como faixa etária, formação educacional, bem como os problemas enfrentados por ele e que podem ser solucionados por seu produto ou serviço, entre outras informações.

2. Ter um blog

Principal ferramenta do marketing de conteúdo, o Blog é o canal principal da sua estratégia de Inbound Marketing. Mas engana-se quem pensa que ter um blog é uma tarefa fácil, pois ao planejar o desenvolvimento de um, é necessário analisar o SEO Técnico e verificar se ele está em concordância com as normas do Google.

Nesta etapa o ideal é já ter criado a sua persona, para entender como e quais experiências o seu blog irá causar na usabilidade e nas entregas de conteúdo e programar as áreas de clique que fazem sentido ao seu possível cliente.

Além do layout, SEO técnico e de provisionar boas experiências de navegação ao visitante de interesse, garanta que a leitura da produção de conteúdo será de boa qualidade, tanto no desktop como no mobile.

3. Adotar técnicas de SEO com Marketing de Conteúdo

Para destacar o seu site em meio a uma multidão, é essencial um trabalho de SEO – Search Engine Optimization, que geralmente é dividido em duas etapas: SEO Técnico e SEO de Conteúdo.

Como já justificamos o SEO Técnico no tópico de “Ter um blog”, neste tópico iremos falar sobre o SEO de Conteúdo, bem como o Marketing de Conteúdo. Em outras palavras, você deve escrever conteúdos de grande relevância para a sua persona com um conjunto de técnicas aplicadas ao texto dos blogposts que trabalhem em sinergia com os spiders ou motores de busca, como o Google.

Desse modo, é possível obter melhores posicionamentos em buscas orgânicas a partir de conteúdos bem escritos que posicionem as palavras-chave escolhidas através de ferramentas como o Semrush ou Moz. 

Conseguir uma boa posição no Google é um passo muito importante para criar atração e gerar bons negócios.

4. Jornada de Compra

Ter desenhada uma jornada de compra, ajudará você e sua equipe de produção de marketing de conteúdo a entender melhor como as etapas desta jornada deverão ser pensadas e redigidas para atender as etapas clássicas de Aprendizado e descoberta, Reconhecimento do problema, Consideração da solução e Decisão de compra.

Nesta etapa, não deixe de compartilhar esta construção com a equipe de vendas, que poderá fazer importantes considerações sobre os conteúdos de meio e fundo de funil.

5. Call to Action

As palavras que induzem seus clientes a uma ação são muito importantes. Por isso, em seus blogposts explore bem o Call to Action, seja em imagem, formulário ou texto. Por exemplo: acessar e-Book; Teste Gratuito; Fale com Especialistas, tudo isso são importantes chamadas que devem levar ou a outra etapa do funil de conteúdo ou diretamente para uma Landing Page.

6. Landing Pages

Também chamadas de páginas de entradas, as LPs são usadas para captar os dados de seus visitantes e continuar a manter um relacionamento com eles, desta vez como leads.

Assim, o ideal é ter uma Landing Page para cada oferta ou campanha divulgada em sua estratégia de Inbound Marketing e elas podem ser facilmente criadas com ferramentas como o RD Station ou Hubspot.

7. E-mail Marketing

Com a segmentação de sua base de leads, você pode criar e-mails com ofertas relevantes para cada grupo. A quantidade e tipo de informação que você pode divulgar são muito variadas.

Um e-mail marketing bem escrito, com a oferta e o assunto certos, podem gerar resultados incríveis e os custos são infinitamente mais baixos do que os investimentos em campanhas pagas. 

Por isso fica a dica de ter boas ferramentas de marketing e um trabalho profissional feito desde o começo para atingir os melhores resultados ao longo do processo da metodologia.

Planeje o seu inbound marketing

Sobre o Inbound Marketing, qual estratégia usar:  funil de vendarketing ou o flywheel?

Antes de apresentar as formas de se trabalhar o Inbound Marketing através do funil de vendarketing ou do flywheel, é importante explicarmos algo muito importante.

Empresas que estão iniciando o seu projeto de Inbound Marketing e não tem uma cultura digital bem trabalhada no dia a dia, sugerimos começar pelo funil de vendarketing, pois além dele ser mais simples, ele é mais direto e foca em Marketing e Vendas.

Já as empresas que trabalham com a cultura de colocar o cliente no centro e aplicam isso no dia a dia de forma clara, o uso do flywheel faz mais sentido, pois ele envolve além do Marketing e Vendas, o pós vendas, pois faz o cliente se tornar o centro de todas as ações e relações.

A estratégia tradicional do funil de Vendarketing

Chegou o momento de entendermos como funciona o funil de marketing e vendas tradicional e saber como são fundamentais suas etapas para o Inbound Marketing.

Além de mostrar o nível de maturidade de seu lead em relação ao seu negócio, o funil  acompanha-o desde o primeiro contato através da sua chegada ao blog até o fechamento do negócio – quando ele se torna um cliente de fato!

Conheça, a seguir, as 5 etapas do funil de marketing e vendas e entenda melhor cada uma delas.

1. Atrair 

Nesta etapa, também conhecida como topo do funil, o objetivo é atrair clientes em potencial com conteúdos que foram pensados na jornada de compra com foco na persona.

Para isso, os conteúdos são menos complexos, e mais esclarecedores, pois nesta etapa o visitante está sendo atraído por algo que ele mesmo não sabe ainda o que é a sua dor ou como ela se chama.

2. Converter

Após chamar a atenção de seus prospects, chegou o momento de convertê-los em leads. Ou seja, pessoas interessadas em saber mais sobre seus produtos/serviços, bem como sua empresa.

É o momento de ofertar conteúdos aos leads em relação à dor que o trouxe até a Landing Page, oferecendo a ele um e-Book, Infográfico ou até mesmo um vídeo ou áudio de grande valor nesta etapa da sua jornada de compra.

3. Relacionar

Nesta etapa do funil, o Inbound Marketing vai trabalhar para engajar o lead, oferecendo conteúdos mais aprofundados, e de maior interesse. Por exemplo: e-mails com entregas de análises sobre o problema que o Lead está vivenciando ou até mesmo conteúdos que resolvam este problema, são muito bem aceitos.

Lembre-se que, mesmo nesta etapa, deve começar a se tornar interessante o lead pensar em comprar seus produtos/serviços. Por isso, capriche nos Call to Action e nas apresentações.

4. Vender

Etapa de fundo do funil, esta etapa contém leads que passaram por todas as fases, portanto estão prontos para receberem o contato do time de vendas. Se todo o processo foi bem executado, significa que seu lead tem boas informações sobre seu negócio e conhece a sua empresa de forma mais consciente.

Hora de levar este Lead qualificado (SQL) da máquina de marketing para o CRM da equipe de vendas e iniciar um trabalho de aproximação com suas ofertas e fechar a venda! 

5. Analisar

Não, o funil não termina com o fechamento da compra. Agora é preciso analisar todo o processo e buscar meios de aperfeiçoá-lo, bem como de fidelizar seus clientes. É neste momento que muitas empresas pensam em usar a ampulheta, mas aqui já começa a justificar o uso do Flywheel

Pense nas melhores formas para manter seu consumidor ativo, se comunicando regularmente com ele, sempre levando informações relevantes. Incentive-os a acompanhar suas redes sociais, a indicar sua empresa, etc.

Se possível, ofereça programas de fidelização, descontos especiais para novas compras, entre outras ações.

funil de vendas e marketing

A estratégia do FlyWheel – nova

A HubSpot foi a pioneira nessa mudança onde no funil de vendarketing a estratégia trata os clientes como uma reflexão tardia de pensar no que fazer com ele depois da venda e portanto eles são um resultado, mas agora, com o flywheel, os clientes estão no centro e se tornam o começo, meio e fim.

A base da estratégia do FlyWheel exige alinhamento entre marketing, vendas e serviços.

Marketing

Atrair

Para atrair clientes, use táticas como SEO, mídia social, marketing de conteúdo e anúncios para atrair pessoas para sua marca.

Para atrair possiveis clientes com sucesso, estude-os completamente e crie buyer personas para qualificar as pessoas que você realmente deseja atrair e que estariam interessadas em sua marca.

Envolver

Depois de atrair clientes em potencial e eles acessarem seu site, é hora de envolvê-los, obter suas informações de contato e convertê-los em leads. Desta forma, você estabelecerá uma linha direta de comunicação com seus clientes.

Para fazer isso, use pop-ups e formulários de aceitação. Certifique-se de mostrar apenas as ofertas que você considera relevantes para eles. Se você pode rastrear como e por que um visitante foi parar em seu site, poderá mostrar a eles ofertas personalizadas, isso a ferramenta da Hubspot faz com excelência.

Encantar

Assim que você tiver leads, é hora de encantá-los, dar-lhes valor e fazer com que se sintam positivos sobre sua empresa usando conteúdo de formato longo personalizado para eles, conteúdo de vídeo, white papers e conteúdo que ajuda a resolver seus problemas. Este também é um bom momento para mostrar como seu produto pode ser valioso para eles.

Vendas

Atrair

Há uma sobreposição entre marketing e vendas quando se trata de atrair clientes. Enquanto o marketing faz o trabalho de encantar os leads, o departamento de vendas pode entrar nesse ponto e alcançá-los para inscrevê-los no processo de vendas .

O modelo do volante sugere que a coisa toda também pode começar sem marketing. Um representante de vendas pode se comunicar diretamente com um cliente em potencial por meio da mídia social ou por meio de comunicação interna e inscrevê-lo no processo de vendas .

Envolver

O envolvimento da parte de vendas inclui reuniões, ligações e comunicações por e-mail com os leads depois que eles demonstram interesse. Isso é para mantê-los interessados ​​e responder a todas as perguntas que possam ter sobre uma empresa ou produto.

Dê aos seus clientes em potencial liberdade para decidir o tempo e o modo de comunicação preferencial para mantê-los confortáveis ​​durante todo o processo.

Encantar

Para encantar seus clientes, torne o processo de compra o mais fácil possível para eles. Eles não devem apenas achar fácil fazer o pagamento real, mas também certificar-se de que entendem como seu produto funciona e ajudá-los com listas de verificação e vídeos de produtos.

Se você for além ao atrair e vender, terá clientes encantados, que muito provavelmente recomendarão seu produto a seus colegas, atraindo novos clientes em potencial para o seu volante.

Serviço

Atrair

Na fase de atração, a maior parte do trabalho pesado é feito por vendas e marketing. No entanto, o serviço desempenha um papel importante. Um bom serviço garante um atrito mínimo.

Você, como empresa, pode fazer isso oferecendo avaliações, demonstrações de produtos, ofertas freemium ou trazendo membros de sua equipe de entrega de serviços para as visitas de vendas. Deixe que seus clientes em potencial experimentem seu produto e experimente-o em primeira mão para tornar seu caso mais forte.

Envolver

A equipe de atendimento ao cliente pode envolver os clientes, garantindo que eles tenham clareza sobre o que esperar de sua empresa. Em seguida, entregue além de suas expectativas. Tenha um banco de dados de conhecimento disponível que os clientes possam consultar para perguntas técnicas e perguntas frequentes.

Encantar

Quando você ajuda seus clientes a ter sucesso, eles o favorecem positivamente e estão dispostos a ouvi-lo. Em seguida, você pode obter estudos de caso, análises e referências que ajudam sua empresa a atrair mais clientes. 

Por que mudar do Funil Tradicional para o FlyWheel?

Com FlyWheel as organizações podem identificar gargalos, pontos de atrito e métricas – tudo para servir melhor o cliente.

No entanto, não é obrigatório mudar a estratégia de Inbound Marketing. Ele foi criado para empresas que já atingiram níveis mais avançados do Inbound. No caso de dúvidas, fale com especialistas em Inbound Marketing, como a Carratu Digital. Eles vão avaliar sua situação atual e indicar a melhor estratégia.

qual estratégia usar funil de vendarketing ou flywheel

Quais os benefícios dessa metodologia de atração ou Inbound Marketing?

Agora que já falamos sobre o que é Inbound Marketing, é importante citarmos seus benefícios. E eles são muitos – observe!

1. Gerar leads qualificados e atrair os perfis de possíveis clientes

Para começar, ele tem como foco gerar leads qualificados, ou seja, atrair a sua persona, pois os artigos falam sobre dores e soluções do dia a dia deste profissional que ao lançar suas dúvidas no Google achou um texto que mostra tudo o que ele precisa saber.

Se o seu negócio desenvolve soluções em uma plataforma digital para recebimento e gestão de receitas médicas, por exemplo, pessoas do setor de alimentação não terão interesse na solução. Portanto, não são leads com a qualificação desejada – ou potenciais clientes.

Uma boa estratégia de Inbound Marketing vai atrair leads que tenham interesse no que sua empresa tem a oferecer, potencializando a possibilidade de fechar negócios, pois ela resolve de fato um problema que ele tem.

2. O Inbound Marketing é mais econômico

Sem dúvida, uma das maiores vantagens do Inbound Marketing é sua economia. 

Quando comparado ao marketing tradicional, o retorno sobre o investimento (ROI) é muito maior. E um dos motivos para isso é sua capacidade de metrificação e assertividade em relação ao público (persona).

Em outras palavras, a estratégia digital de atração permite saber exatamente o quanto de seu investimento em Inbound Marketing se converteu em mais acessos e conversões, e quantas vendas nasceram deste processo.

Nesse sentido, é possível acompanhar cada etapa da estratégia, ajustando e melhorando as ações da metodologia que não tem um bom desempenho com os resultados esperados, otimizando o investimento e a tornando essencial a médio e longo prazo.

Além disso, também reduz perdas com publicidade e, ao mesmo tempo, maximiza os ganhos ao longo do tempo com as correções. Sem contar que reduz o custo de aquisição de clientes (CAC), exatamente por qualificar melhor os leads e entender para qual deles na sua base a equipe comercial deverá abordar e em qual momento.

3. Permitir a segmentação de suas ações

O cliente é o sucesso do seu negócio, diz a sabedoria popular. Mas para conquistar sua clientela, ainda mais no vasto oceano que é a internet, é preciso capacidade de segmentação, exatamente o que o Inbound Marketing oferece.

Na prática, isso quer dizer que investir em Inbound Marketing significa criar ações para impactar diretamente com seus leads, com um trabalho de geração de conteúdo e envio por e-mail, o que aumenta as chances de transformar uma pessoa de interesse em um cliente efetivo, se você se apresentar na sua caixa postal ou no google, com entregas de valores através dos conteúdos gerados.

4. Educar e informar seu público-alvo, melhorando a comunicação

O Inbound Marketing vai ao encontro do perfil do consumidor moderno que está muito mais ativo, indo atrás de informações na internet antes de fecharem negócio.

Por isso, disponibilizar conteúdos que eduquem a sua persona (público final), dando condições para que ele entenda e enxergue valor nos produtos ou serviços que sua companhia tem para oferecer, é essencial para melhorar o processo de vendas e fechar mais negócios.

Também permite aperfeiçoar a comunicação entre empresas e seus mais variados públicos: leads, clientes, colaboradores, fornecedores, etc. 

5. Aumentar a autoridade e penetração de sua marca

Quando uma empresa é considerada referência em sua área de atuação, ganha pontos importantes para se destacar da concorrência e conquistar clientes.

E o Inbound Marketing tem a capacidade de construir essa autoridade, bem como posicionar sua marca em sites de busca. Resumindo, você é achado por quem precisa de fato da sua solução de negócio.

Com as técnicas certas de SEO e um bom conteúdo, você entenderá que o baixo investimento se justifica quando comparado ao mesmo esforço que é feito para conquistar as mesmas posições no Google, pagando altos valores pelo Google Ads, que somem depois que a campanha acaba o saldo.

6. Ampliar a oportunidade de vendas

Esta vantagem é uma consequência de todos os outros benefícios que citamos anteriormente.

Afinal, entre outras possibilidades, com o Inbound Marketing você fixa sua marca na mente dos leads e de muitos visitantes que voltam ao seu blog com perguntas recorrentes dos problemas que a sua solução pode resolver. 

Também destaca-se da concorrência, atrai novos clientes e fideliza os já existentes, bem como amplia o alcance de divulgação de seus produtos e serviços.

Estratégias de Inbound Marketing planejadas e executadas por profissionais, faz com que a jornada de compra digital de clientes em potencial se tornem experiências marcantes e isso os aproxima de uma possível compra da sua solução/produto.

Isso porque eles já conhecem seus diferenciais e têm maior confiança em sua marca. 

Assim, facilita muito a rotina da área comercial, que não perde tempo com prospectos rudes e que muitas vezes não entendem por que estão recebendo uma chamada fria por telefone, muitas vezes em um momento inoportuno do seu dia a dia.

Ou seja, o time de vendas pode concentrar seus esforços em atender bem aqueles leads já prontos para bater o martelo e gerar lucros!

Inbound Marketing e Marketing Digital são a mesma coisa?

É comum confundir Inbound Marketing com Marketing Digital, mas eles são diferentes.

O Marketing Digital é composto por estratégias soltas. Como por exemplo: banners, e-mails, sites, entre outras táticas sem conexão.

Já o Inbound Marketing é uma estratégia completa, planejada, que usa ferramentas de modo coeso e integrado, gerando um acompanhamento de cada etapa da jornada de compra e tornando seus processos mensuráveis de forma clara.

Já ouviu falar de Outbound Marketing? Qual a diferença entre eles?

Ainda que tenham objetivos em comum, como obter maior volume de vendas, por exemplo, Inbound Marketing e Outbound Marketing são diferente, mas podem ser poderosos se unidos em uma única estratégia.

Relevante, sem ser invasivo, o Inbound Marketing chega aos leads por meio de conteúdos que elas precisam, na hora que eles querem ler, despertando seu interesse e as chances de conversão. Ou seja, atua com mensagens personalizadas para segmentos determinados.

O Outbound Marketing, por sua vez, se comunica com muitas pessoas ao mesmo tempo – pois a seleção de dados se dá pelas características do alvo ou ICP e não pela razão do seu consumo.

Por exemplo, uma ligação para a sua persona, só porque ela tem as características profissionais que você identificou sobre quem mais consome o seu serviço/produto, não tem a correta relevância, se for em um momento que ela não estiver aberta para falar sobre ou se ela já tiver contratado uma solução similar.

Dessa forma, é fácil concluir que os custos com Outbound costumam ser muito maiores do que o investimento em Inbound Marketing, principalmente quando consideramos que é necessário ter um alto volume de ligações e ações de social selling nas redes sociais para se achar o seu público consumidor.

Outro ponto a ser destacado é que entre Inbound e Outbound Marketing, o primeiro oferece um retorno sobre investimento maior. E o motivo é simples: é muito mais vantajoso investir pouco em um grupo menor, mas que tem interesse em sua oferta a gastar valores altos, atingir muitas pessoas e passar despercebido entre muitas delas, como acontece com comerciais tradicionais de TV.

A análise de resultados mostra outro diferencial.

No Outbound o esforço para achar um cliente ideal em meio a tantos contatos, desgasta a equipe comercial e gera estresse.

Porém esta análise não desqualifica o Outbound, pois ele tem a sua importância e o que estamos analisando aqui é o custo e o esforço que cada metodologia emprega para trazer os melhores resultados.

Já o Inbound, graças à atração que consegue realizar pelas técnicas de SEO e Marketing de Conteúdo, conversão através das Landing Pages e nutrição dos leas por email, permite medir resultados, a partir de várias métricas (KPIs)

Entre elas podemos citar as principais que são:

  1. Número de acesso ao site;
  2. CTR de Landing Pages
  3. Leads gerados (MQL)
  4. Leads oportunizados (SQL)
  5. Taxa de abertura de e-mail marketing ou de fluxo de nutrição;
  6. ROI – Retorno sobre investimento;

Com essas análises e acompanhamentos, é possível aprimorar a estratégia de Inbound Marketing, levando a um investimento inteligente e de resultados efetivos, sempre com o apoio de ferramentas como RD Station ou Hubspot.

E sobre vender: como o Inbound Marketing ajuda?

Já vimos que o Inbound Marketing oferece suporte valioso para que a equipe comercial possa ter acesso a leads qualificados. 

Afinal, a melhor forma de aproveitar todo o potencial e conhecimento do profissional de vendas não é deixá-lo em operação, dando baixa em dados e ajustando informações para o dia seguinte. O ideal é fazer com que todo o esforço do profissional de vendas seja para mover o lead do ponto de oportunidade para a compra.

É muito mais eficiente e econômico conduzir o lead pelo funil de vendas do que usar o time comercial para isso para fazer ligações frias.

O que é Inbound Sales?

Os conceitos de Inbound Marketing e Inbound Sales são semelhantes, já que ambos propõem ações para atrair clientes – ao invés de ir atrás deles, sendo assim podemos dizer que o Inbound Sales é o Inside Sales do processo de Inbound.

Assim, enquanto o tem como meta atrair e qualificar o lead, a área de vendas precisa entender a melhor forma de encaixar os produtos ou serviços que tem a oferecer às necessidades do lead.

Para isso, o time comercial de Inbound Sales foca nas dores e expectativas dos clientes em potencial. Estabelecendo contato somente com os leads que se enquadram em critérios já estabelecidos, o tempo da equipe é otimizado e as chances de conversão aumentam.

A importância da estratégia tem levado muitas empresas a adotarem uma prática denominada vendarketing, que integra os dois setores para aumentar a cooperação.

dicas de inside sales

Ferramentas de Inbound Marketing para quem está começando

Se você está começando a usar o Inbound Marketing em sua estratégia de mercado, vai precisar de ferramentas para implementar seu planejamento, acompanhar os resultados, aperfeiçoar.

Além da RD Station e a Hubspot,líderes absolutas do mercado de Inbound Marketing, veja as 3 principais ferramentas para esse momento de início da sua estratégia:

  1. Google Analytics – acompanha indicadores de sites;
  2. Artia ou Trello – organização de tarefas;
  3. Mailchimp – usada para e-mail marketing.

Ferramentas de Inbound Marketing para quem está em nível médio ou avançado

Se sua estratégia está mais avançada, você pode precisar de outras soluções, além daquelas já citadas no tópico anterior – veja:

  1. Semrush – uma das mais completas para SEO;
  2. Hotjar – estuda padrões comportamentais dos usuários de sites;
  3. Google Studio – torna suas análises mais dinâmicas e intuitivas

Quem são os principais players SaaS do Mercado de Marketing e Vendas?

Quando se fala em Inbound Marketing no Brasil, dois nomes se destacam dos demais:  RD Station e Rock Content.

Já no exterior, encontramos nomes de referência como Sales Force e HubSpot. Além de serem fortes em Marketing, também são referência em Vendas e Experiência do Cliente.

Fica fácil perceber porque estas ferramentas internacionais têm um nome tão forte: por agregarem soluções para Marketing e Vendas, o que é muito importante para empresas de médio e grande porte. 

Esperamos que este Guia Completo de Inbound Marketing tenha tirado suas dúvidas sobre essa estratégia cada vez mais necessária para o crescimento organizacional. Contudo, conte com o time de especialistas da Carratu para avaliar sua estratégia atual e propor melhorias para aumentar suas vendas ou faça online uma análise do marketing e vendas da sua empresa, por aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.