Uma das premissas do Marketing Digital é descobrir como o Google funciona. Temos uma ferramenta poderosa que, naturalmente, cria relevância para sites de todas as categorias. Quem conseguir se posicionar bem, aumenta consideravelmente as chances de sucesso e crescimento das vendas.

Mas entender o danado desse robô ainda é um grande problema para muita gente.

Há diversas maneiras de compreender como o Google funciona. Uma delas é através dos critérios de análise para ranquear uma página. Neste post queremos mostrar um pouco disso. Falar como você consegue indexar bem um site para ter mais destaque no buscador.

Simbora descobrir?

Como o Google funciona para tráfego Orgânico e Pago

Há, basicamente, duas maneiras de ficar na primeira página do Google: através do tráfego orgânico ou do pago.

O tráfego pago é a forma mais direta. Através do Google Adwords é possível criar campanhas patrocinadas e o processo é relativamente simples. Você precisa escolher as palavras-chave relacionadas ao seu negócio, criar o anúncio – segmentado ou não – e investir o valor gerado pelo Google Ads. É preciso também acompanhar bem essas campanhas. Não pode deixar a migué, pois é preciso evitar os erros mais comuns entre os usuários da plataforma.

No tráfego orgânico a coisa muda um pouco. Apesar de não depender de anúncios, o bichinho exige uma dedicação danada do Marketing da sua empresa. Esse tipo de acesso é aquele mais natural, feito por pessoas que encontraram seu site nas pesquisas. Nesse caso, entender como o Google funciona, faz toda diferença para posicionar-se na primeira página do buscador.

Aqui você não tem um custo direto, mas certamente precisará investir em um negócio chamado Inbound Marketing ou então no Marketing de Conteúdo. SEO, persona, planejamento de palavras-chave, e-mail marketing e outras estratégias exigirão um esforço retado e uma equipe bastante engajada.

E como a mágica acontece?

Entender como o Google funciona é até mais simples do que parece. Quando falamos que estamos lidando com um robô, a sensação de muitas pessoas é que existem uma ruma códigos secretos e ilegíveis. Não é bem assim.

O Google considera três fatores para gerar seus resultados em uma busca: rastreamento, indexação e classificação.

Rastreamento

O rastreamento é a primeira etapa no processo de busca. O Google guarda informações de páginas online, conteúdos enviados pelos próprios usuários – como as marcações feitas no Google Maps, por exemplo -, livros que foram digitalizados, bancos de dados públicos, além de outras fontes.

Cada uma das fontes acima gera diversas páginas e nem todas são registradas pelo robô. Por isso que, constantemente, ele faz o rastreamento para descobrir novas páginas e adicioná-las ao índice do buscador. Duas maneiras de melhorar o rastreamento do seu site são: enviar um sitemap para o próprio Google e ter uma qualidade de links internos e externos dentro da página.

Indexação

Entender o que é indexação é fundamental para melhorar o posicionamento no Google. Depois que o Google rastreou o site, ele precisa indexar o conteúdo. Isso significa que o robô identifica o que há em suas páginas de relevante para os usuários e cataloga cada um desses pontos para pesquisas.

Quanto mais conteúdo relevante seu site apresentar, mais rapidamente ele é indexado no buscador. A Unbounce tem um infográfico onde mostra, por exemplo, que sites com blogs têm 434% mais páginas indexadas no Google do que aqueles com páginas estáticas.

Classificação

O último fator para entender como o Google funciona é a classificação do site. Essa é o posicionamento que seu site ganha em relação aos outros. Por exemplo, quando você buscar por “Marketing Digital” no Google, ele vai listar muitas páginas que utilizaram esse termo em suas publicações. A forma como o robô vai classificar cada uma delas, aparentemente, da mais até a menos relevante, é através de mais de 200 fatores. O site Backlinko listou todos eles.

Aqui, escolhemos os principais:

  • Localização. Tendencialmente o Google busca por resultados de marcas que estejam mais próximas do usuário;
  • Idioma. O site também identifica automaticamente o idioma do país que você se encontra;
  • Dispositivo. Se você fizer uma busca pelo celular, por exemplo, sites com layout responsivo têm uma classificação melhor;
  • Velocidade. Páginas que carregam mais rápido também levam vantagem na classificação do Google;
  • Atualização. Sites que são frequentemente atualizados aumentam a sua visibilidade online;

Dá para entender melhor como Google funciona através de um material bastante completo, disponibilizado pela própria empresa. É possível ver fotos, vídeos e explicações dos próprios engenheiros da marca.

Oxe, e o tal do SEO?

Falar sobre como o Google funciona e não dedicar um tempo para entender o que é SEO, é impossível!

SEO significa Search Engine Optimization. Não ajudou muito, certo?

Explicamos melhor. SEO são as técnicas que utilizamos para otimizar um site, ou seja, deixá-lo rastreável para o buscador.

Focar no SEO tem o objetivo de se posicionar na primeira página do Google. Sabemos que os conteúdos que não estão nas primeiras posições, dificilmente serão vistos. Se o conteudista de um site sabe como o Google funciona, levando em conta as técnicas de SEO, dificilmente ele terá esse problema.

Trabalhar o SEO é criar elementos textuais dentro do site para que o robô do Google consiga identificá-los e considerar a página relevante para uma busca. O Google não tem a sensibilidade humana para identificar classificar um site pela composição de cores do layout ou por uma foto com mais ou menos qualidade. Ele lê. E o que você escreveu será determinante.

Claro que isso não significa que, para se posicionar bem, você deve jogar textos aleatórios. Acredite, o Google sabe se você publica algo irrelevante ou desconstruído. Complicou um pouco mais?

E como eu mexo nesse negócio?

A receitinha está em utilizar os termos-chave corretamente. Primeiro se preocupe se o layout do site está com o código adaptado para SEO. Essa análise pode ser feita por um profissional ou observando a organização da página. Caso queira analisar por conta própria, o Google Search Console é uma ótima ferramenta para isso.

Se o código está correto, agora é só produzir conteúdos focados no SEO. A regra para textos é sempre utilizar a palavra-chave dentro de uma proporção:

  • 1 vez no título (H1);
  • Pelo menos 1 vez nos subtítulos (h2);
  • 1 vez no CTA;
  • 1 vez na meta description da página;
  • Uma proporção natural dentro do texto, de forma que ele fique sempre coerente.

Não esqueça também de criar links que levam para outras páginas do site e para urls externas, de sites relevantes para seu conteúdo. Fizemos isso algumas vezes neste texto, inclusive!

Existem outros pontos importantes para quem deseja saber como o Google funciona. Você pode assinar a nossa Newsletter e ficar por dentro de todos eles através dos nossos posts!

assine a newsletter da carratu publicidade

Comentários