Saiba mais sobre o surgimento e popularização dos emoticons e emojis, uma das principais formas de comunicação atual

Se alguns anos atrás as pessoas apostavam no inglês como a língua mais falada no mundo, é porque não esperavam que os emojis tomassem conta das nossas vidas. Tudo começou com carinhas feitas a partir de sinais gráficos e hoje existem milhares de variações. Neste blogpost você vai conhecer um pouco mais da história dessa língua que une todos os conectados, independente do idioma que se fala.

alguns consideram o primeiro uso de emoticon, ainda no ano de 1862

Trecho da transcrição do discurso de Abraham Lincoln, o que alguns apontam como o primeiro uso de emoticons

Existe uma certa polêmica sobre o primeiro uso dos sinais gráficos com intenção de exprimir emoção. Algumas fontes indicam a transcrição de um discurso do ex-presidente estadunidense Abraham Lincoln, em 1862, como o primeiro registro. Entretanto, muitos pesquisadores atribuem a combinação “;)” a uma falha de digitação, considerando o contexto: “[…] (applause and laughter ;)”.

Apesar desse impasse, o primeiro uso de emoticons reconhecido foi em setembro de 1982, pelo professor Scott Fahlman. Ele usou a combinação “:-)” num fórum virtual da universidade Carnegie Mellon como forma de identificar ironia nos textos. Desde então, ao longo destes 35 anos, usar sinais gráficos para representar expressões e emoções se espalhou pelo país e pelo mundo até se tornar o sucesso que é hoje.

registro do primeiro uso dos emoticons, pai dos emojis

Registro do primeiro uso dos emoticons, em 1982, pelo professor universitário Scott Fahlman (Foto: Divulgação/Universidade Carnegie Mellon)

Mas, espera aí! No começo falávamos de emojis e de repente chamamos de emoticon?!

Emoticon x emojis

A principal diferença atribuída a essa distinção de nomes é referente ao visual. São chamados emoticons as combinações de sinais gráficos, enquanto os emojis são os mais comuns do nosso cotidiano – derivados dos smileys, “carinhas” amarelas.

Enquanto os emoticons foram criados por Fahlman, os emojis surgiram no Japão na década de 1990. Caracterizados por pertencerem a uma biblioteca de figuras prontas, foram concebidos por Shigetaka Kurita. Os emojis também agrupam o smiley e outros símbolos originalmente considerados emoticons, porém suas versões em desenho.

Shigetaka Kurita, japonês criador dos emojis, e parte dos primeiros ícones que criou

Shigetaka Kurita, japonês criador dos emojis, e parte dos primeiros ícones que criou

O primeiro emoji foi um coração, lançado em 1995 pela NTT DoComo, onde Kurita trabalhava. A companhia telefônica experimentava a explosão na venda de pagers e decidiu incluir o símbolo para atrair o público adolescente. A iniciativa deu certo, mas logo foi descartada para que os aparelhos atendessem às expectativas dos adultos.

Posteriormente, ao perceber a dificuldade de expressar as emoções humanas, Kurita retornou com os emojis e lançou a primeira biblioteca com 176 imagens de 12 x 12 pixels de resolução expressando emoções.

Do surgimento do domínio global

Quando o costume de conversar na internet alcançou o público geral, os emoticons evoluíram, aparecendo nas telas como pequenas imagens. O ICQ e MSN Messenger começaram a oferecer diversos emoticons até chegar nos mais populares atualmente, do WhatsApp e Facebook.

Voltando no tempo, chegamos em 1997. Neste ano, o francês Nicolas Loufrani, CEO da The Smiley Company, percebeu a popularização dos emoticons e começou a desenvolver ícones coloridos equivalentes aos emoticons. Seu objetivo era tornar a comunicação digital, em crescente expansão, mais interativa.

Reunindo as categorias clássicos, expressões, estados de espírito, bandeiras, festividades, diversão, desportos, meteorologia, animais, comida, países, profissões, planetas, zodíaco e bebês, em 1998 publicou na internet os primeiros emoticons gráficos nas plataformas tecnológicas.

Em 2001 sua criação foi disponibilizada, ultrapassando mil emoticons, para uso em celulares por empresas como Nokia, Motorola, Samsung entre outras.

Já as figuras de Kurita foram copiadas por companhias concorrentes, tornando os emojis febre no Japão. Porém, apenas em 2010, com o lançamento do iOS 4 sua criação ganhou o mundo. A Apple foi a primeira estrangeira a adotar as figuras, logo acompanhada por Google e Microsoft com Android e Windows Phone respectivamente.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Expressando diversidade

Ainda que os emojis tenham se multiplicado na medida em que se popularizavam, apenas em 2016 os do WhatsApp ganharam versões com mulheres. Até então, a maioria dos emojis eram homens e nos referentes às profissões apenas homens eram representados.  

Somente um ano antes, em 2015, esses emojis começaram a diversificar em relação aos tons de pele e sexualidade. Passaram a surgir emojis da mesma expressão com variados tons de pele, bem como casais e famílias homossexuais.

Em relação à acessibilidade, a TIM criou o Emoti Sounds em 2016. Esta função, disponível apenas para desktop, lê emoticons de forma diferente das funções para deficientes visuais dos celulares. Ao invés da voz mecânica que fala “emoticon” seguido do que é a figura, ele reproduz de forma mais emotiva. Está disponível em inglês e português para usuários do NonVisual Desktop Access (NVDA).

E aí, gostou de saber mais sobre a história da comunicação digital? Este também foi tema de uma live nossa com o jornalista Fernando Campos falando sobre a experiência de usar emojis como deficiente visual.

Para ficar por dentro das dicas e curiosidades relacionadas ao digital, basta curtir nossa página no Facebook!

 


Comentários